TOBARI – como num fluxo inesgotável

por mayra vilar lins

espetáculo do grupo de dança contemporânea japonês Sankai Juku, seu diretor Ushio Amagatsu, artista reconhecido mundialmente, dirige, coreografa e desenha roupas e cenários da companhia que fundou em 1975
tive a oportunidade de assisti-los no TCA esta semana, e ver o butô contemporâneo  acontecendo em sua plenitude é de um poder e beleza  grandiosos em sua simplicidade precisa:

quadros:
Vindo de um nada sem limites
Uma sombra em um sonho
Refletirem-se uns nos outros
Sonho de futuro vertical
Azul-noite
Num fluxo inesgotável
Rumo a um nada sem limites
Anúncios