Critica, curadoria e fotografia

por mayra vilar lins

ótimo texto de Clicio Barroso, dica de Tiago Lima, na integra aqui:
“É sintomático como os museus, mesmo os mais respeitáveis, passaram a ter lojinhas mais cheias de público que as próprias salas de exibição; abrem filiais em lugares como Las Vegas, vendem postais a turistas apressados, que não tem tempo para perder em museus, e substituem arte por papel pintado.
Por mais rotulado que possa ser o Modernismo, o artista fazia arte (não só dinheiro) e o crítico criticava (não apenas justificava).
Hoje vemos muitos dos trabalhos apresentados pelos fotógrafos mais modernos precisarem de longos e filigranados textos, vagos e oníricos, que o justificam. Sem o texto, não há trabalho, este não se sustenta por si próprio! Está na hora de adesivar os conceitos escritos em grandes metacrilatos, e a exposição então será dos textos, e não das fotografias, já dispensáveis.”
Anúncios